airsoft


Entenda tudo e mais um pouco sobre as armas de Airsofts, as suas diferenças e seus sistemas de disparo.

As armas de airsoft se tornaram bem populares no mundo inteiro, seja para disputar com os amigos em nos jogos que simulam a ação de combate ou simplesmente para decorar a parede do quarto, as réplicas sempre despertam a curiosidade e admiração.


Entretanto, apesar de serem apenas réplicas e não oferecem risco algum para a vida humana, ainda é necessário cumprir algumas normas antes de tê-las em casa, quer saber um pouco mais sobre isso? Então continue lendo e descubra tudo sobre os airsofts.


O que é o Airsoft

airsoft


Na realidade o chamado airsoft, é um esporte onde os jogadores podem se enfrentar em batalhas armadas com o máximo de realismo. Isso só é possível pois, diferente das armas de fogo, as armas utilizadas no airsoft não utilizam munição real e o sistema envolvido no disparo não depende da explosão de pólvora. Para disparar, essas réplicas utilizam um sistema de ar comprimido e sua munição nada mais é que bolinhas feitas de plástico.


Além disso, as armas de airsoft normalmente são feitas de plástico (ou um polímero similar) e metal, elas imitam de forma perfeita o peso e aparência de armas reais, mas devido aos materiais que as compõem e seu sistema de disparo, se torna impossível converter uma airsoft em uma arma de fogo.


Os diferentes tipos de armas Airsoft


Como dissemos as armas de airsoft utilizam o ar comprimido para disparar, mas os sistemas envolvidos para disparar as BB’s (munição de airsoft) são diferentes, veja os mais utilizados nas réplicas.


Spring


Esse mecanismo utiliza uma mola que fica em seu interior, para transformar energia potencial elástica em energia cinética através da compressão do ar dentro do cilindro. No momento do disparo, a mola é liberada com velocidade suficiente para ejetar a BB que está na câmara, fazendo com ela atinja certa velocidade.


O ponto positivo desse sistema, é que não existe a necessidade de recarregar cilindros com ar comprimido, podendo ser utilizada indefinidamente até que se acabe a vida útil da mola, neste momento a mola pode ser trocada.


Já o ponto negativo é que o atirador deve puxar o ferrolho da arma para tensionar a mola em cada disparo, isso impossibilita o uso de disparos automáticos ou em rajadas. Por esse motivo o sistema de springs é muito utilizado em réplicas de armas mais antigas como as carabinas, mas isso não é uma regra e existem diversas pistolas e outras réplicas mais modernas com esse mesmo sistema de disparo.


AEG (elétricas)


O funcionamento das armas de airsoft elétricas também depende de uma mola para comprimir o ar na câmara, mas esta é tensionada por engrenagens alimentadas por uma bateria recarregável.

Assim que o gatilho é pressionado, a bateria ativa as engrenagens que tensionam a mola e depois a liberam de forma totalmente automática. Isso acontece extremamente rápido e torna esse sistema ideal para réplicas de metralhadoras, pistolas semi automáticas e fuzis.

A principal vantagem desse sistema é que ele pode ser utilizado centenas de vezes sem precisar recarregar a bateria (dependendo do fabricante), Além disso, assim como no modelo springs não existe a necessidade de ficar recarregando cilindros de ar comprimido, uma vez que a própria arma faz a compressão de que precisa para disparar.


O Único ponto negativo talvez, seja que nem os modelos springs quanto os AEG possuam disparos tão rápidos quanto os modelos a gás.


GBB (gás comprimido)

O sistema GBB utilizam gás comprimido para impulsionar as BB’s, as armas GBB possuem um compartimento para armazenar o gás que será utilizado. Tal compartimento pode ser recarregado facilmente utilizando cilindros com CO², propano ou gás que possui lubrificante (green gás).


Durante o disparo, o gás é liberado na câmara e se expande com grande velocidade, expulsando o projétil. Devido a essa rápida expansão, as airsofts que utilizam o GBB possuem recuo mais realista e liberam BB’s com mais velocidade. Podemos dizer com certeza que as armas de airsoft a gás oferecem uma experiência bem mais próxima das armas de fogo.


Granadas


Além das armas que utilizam BB’s ainda existem as granadas que podem ser utilizadas durante o confronto. Existem 3 tipos diferentes de granadas, mas todas causam o mesmo efeito sobre o time adversário e podem esvaziar uma sala em menos de um segundo.


● Granada falsa


Essa granada é mais cenográfica, não foi feita para causar dano moral ao time adversário e geralmente é usada apenas como um adereço para deixar a roupa mais realista. Entretanto, ela pode ser usada em um combate de forma estratégica, para fazer com que o inimigo saia do esconderijo por exemplo.


● Granada de som


As granadas de som são utilizadas para causar efeito moral, elas liberam rapidamente o gás CO² contido nelas produzindo o som forte de uma explosão, elas não liberam nenhum tipo de projétil, mas são suficientes para deixar o time adversário atordoado e fazer com que eles deixem uma determinada área.


● Granadas de BB’s


Essas granadas são as mais realísticas que existem para combate airsoft, elas não só produzem o barulho característico como também liberam uma rajada de BB’s em todas as direções.


Os confrontos de airsoft são extremamente divertidos e podem simular com perfeição uma troca de tiros real, por isso é necessário a utilização de equipamentos para segurança, uma vez que as BB’s podem ser disparadas com velocidade suficiente para machucar a pele ou até mesmo causar danos aos olhos (da mesma forma que os tiros de paintball).


Quer saber mais sobre armas de airsoft, armas de fogo e dicas de como melhorar a pontaria? Siga nosso blog e seja avisado sempre que surgir um conteúdo novo sobre o assunto!